quinta-feira, 11 de abril de 2013

Era uma vez: SNK

         Doushita, doushita! - Come on, what's the matter!? - Haohmaru


          A SNK foi conhecida como uma "fábrica de personagens", já que desenvolveu vários personagens marcantes com muita personalidade e carisma, inesquecíveis para qualquer gamer que tenha jogado seus famosos games de luta e que nunca se esqueceram de personagens como o Terry Bogard, a super sexy Mai Shiranui e ainda os vários samurais peculiares em Samurai Shodow.
            Estas foram as principais diferenças entre a SNK e sua maior concorrente, a Capcom, que produzia personagens interessantes, mas com muito menos personalidade e inovações. Não que eu não goste da Capcom, mas seus personagens são mais simples em detalhes e mais clichês como o Ryu que usa kimono e é um dos melhores lutadores de caratê e a Chun Li que é bonitinha e usa roupa tradicional chinesa. A SNK já produz personagens mais caricatos e diferentes, e a história dos personagens é bem mais trabalhada, exemplos: o esquisito e histérico Basara Kubikiri que é meio um youkai (demônio) que ficou louco após a morte da esposa (que depois é revelado que ele mesmo a matou!!!).


                 
                  O INÍCIO
               A SNK nasceu no final de julho de 1978, com um nome de Shin Nihon Kikaku - significa "novo projeto japonês" (nome meio entediante, não?) - e, infelizmente, começou com diversos fracassos com o lançamento de jogos para arcades como Ozama Wars, Safari Rally e Joyful Road.
               Apenas em 1986, e com a mudança de nome para SNK, é que a empresa começou ir rumo ao sucesso com a criação de dois games de sucesso, o Ikari Warriors e Psycho Soldiers, e também iniciu sua expansão para o EUA e Europa.
          Em 1989, a empresa inicia o desenvolvimento de sua própria máquina de arcade com o NeoGeo MVS (Multi Video System), plataforma que era a primeira que trazia até seis entradas de cartucho ROMs, por um preço mais barato e ainda dava a opção de escolher entre diversos games disponíveis.

                   O SUCESSO
              A placa usada para a criação deste arcade era muito poderosa, além disso a SNK foi a primeira empresa a se utilizar de processadores 16-bits, quando o Mega Drive e o Super Nintendo nem pensavam ainda em existir. Depois disso, veio outro sucesso com o surgimento do console NeoGeo, uma réplica perfeita do MVS, porém compactada e dirigida ao mercado caseiro, mas por ter uma qualidade bem superior aos outros consoles da época, era um pouco mais caro (especialmente para nós pobres brasileiros...). E para quem não sabe, este foi o primeiro console a trazer um memory card, e não o PlayStation da Sony, como muita gente acha! XD~~
              Com toda esta potência, foi permitido desenvolver games sensacionais como o Magician Lord, Sengoku, King of Monsters e o mais querido, que acumulou milhões de fãs pelo mundo todo, o Fatal Fury. Daí por diante, a empresa se tornou pioneira na criação de fighting games sensacionais, como: Art of Fighting, Samurai Shodown e, finalmente, a saga The King of Fighters.















               OS PRIMEIROS SINAIS DO DECLÍNIO
          No auge de sua fama, a SNK possuía escritórios nos principais pólos consumidores dos seus jogos, e as versões caseiras de seus games estavam entre as mais vendidas do Japão, alavancando as vendas de consoles como o Sega Saturn ( lançado em 1994 no Japão e 1995 no resto do mundo) e o Dreamcast (lançado em 1998 no Japão e em 1999 no resto do mundo) . Além disso, por todo o arquipélago haviam casas de arcade espalhadas apenas para games da SNK, conhecida como as NeoGeo Lands - que chegaram até mesmo a ter uma filial aqui no Brasil, a Neo Park, localizada no bairro da Liberdade em São Paulo (pô, alguém chegou a conhecer? Devia ser sensacional!).
             No entanto, nem tudo que é bom dura para sempre, já que a SNK começou a cometer graves erros que a prejudicaram: com o sucesso dos games de luta em 3D (que vou deixar bem claro, nunca fizeram sucesso comigo!!!) como Tekken, Soul Edge e Virtua Fighter, a empresa começou a investir pesado no desenvolvimento de uma placa para suportar uma qualidade surpreendente dessa nova tecnologia, conhecido como NeoGeo64, mas alguma coisa deu MUITO errada.
          A máquina, apesar de ter processadores de 64-bits, eram inferiores a todos os consoles da época, até mesmo a placa da Namco System 22, que reproduzia o hardware do Playstation de 32-bits. Resultado: a SNK perdeu bilhões de ienes.
             Mas você acha que os erros pararam por aí? É, não...mas agora o motivo foi o mais puro azar. Em 2000, a SNK lança seu portátil, o NeoGeo Pocket. O console de bolso tinha tudo para dar certo e contava com games famosísimos como Sonic The Hedgehog, Ogre Battle e ainda o sonho de qualquer gamer que curte jogos de lutas: SNK vs. Capcom. A empresa investiu pra caramba em seu lançamento internacional, colocando a disposição diversos modelos diferentes (meio bobagem gastar dinheiro com isso né?) e ainda anunciando nas principais revistas para o público gamer. Contudo, tudo isso foi por água abaixo por causa de apenas um título: Pokémon. Só por apenas este jogo, todo mundo queria compra o Game Boy da Nintendo, e não o NeoGeo Pocket....

Foto para quem nunca viu um NeoGeo Pocket, tipo eu XD~~. Foto retirada do site Giant Bomb.


                   FERROU-SE O QUE ERA DOCE
               É, os bichinhos mais fofinhos e que todo mundo conhece conseguiu ruir com o império SNK . Com a enorme perda de dinheiro, a empresa teve que fechar as portas de suas filiais no exterior para se concentrar apenas no mercado japonês e tentar se reerguer. No entanto, a situação piorou mais ainda quando a Sega anunciou que deixaria a produção de consoles de video games para focar apenas na criação de jogos. Mas o que isso tem haver com a SNK? Bem, o DreamCast era a melhor plataforma de jogos em duas dimensões e a única que investia em um segmento que a SNK ainda dominava.
            Para piorar ainda mais a situação, em 2001, várias empresas de distribuição de games processaram a SNK por danos causados pelas compras de suas ações por parte da empresa, já que a SNK tinha se tornado a acionista majoritária. Com uma dívida de mais de 35 bilhões de ienes e  de ter apostado todas suas fichas nos jogos 2D, no dia 27 de outubro de 2001 a SNK declarou falência.


 

               
                    












                     SNK MORREU, MAS VIROU ZUMBI
                    Depois de 23 anos no mercado e com um nome conhecido mundialmente pelos gamers, a empresa não ia sumir de uma hora para outra, já que o legado deixado era muito extenso. Dessa forma, já em novembro várias empresas compraram as propriedades intelectuais da empresa (as cabeças por trás dos games e character design). As principais empresas que a compraram na época foram: a MEGA Enterprises com os direitos de Metal Slug, a empresa Eolith, coreana que queria dar continuidade a série KOF; a UNOTac que cuidaria do The King of Fighters online, entre outras. E em janeiro de 2002, nasceu a fundação SNK Playmore, uma subsidiária responsável por todas as decisões envolvendo assuntos da finada empresa.
                   Com isso, a SNK Playmore realmente continuou com a produção das grandes franquias da SNK, como The King of Fighters, porém, os jogos nunca mais foram os mesmos, principalmente com relação aos personagens novos, que não tinham personalidades interessantes e a empresa foi perdendo suas características marcantes com o tempo. Assim, infelizmente esta é uma empresa da qual sentiremos saudades, pois não vejo nenhum sinal de luz no fim do túnel.


Referência: Revista Herói Mangá, editora Conrad, 2001.



4 comentários:

  1. a metáfora do zumbi foi bastante apropriada... tenho tanta dó de uma das minhas companhias favoritas ter esse destino. :( e realmente os personagens eram muito cativantes, nunca tinha parado para pensar em quanto isso era verdade! pena que se apoiaram por tanto tempo apenas neles...

    eu frequentava as casas de arcade da neo geo, eram os melhores que já tivemos no brasil (não tinha na liberdade though, o park era em guarulhos).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente a metáfora foi realmente o que acho da empresa atualmente. O problema da SNK é que els apenas se concentraram em um nicho, e isto é complicadíssimo :/

      Olha só, na revista que vi a referência disso falava que era na Liberdade! XD~~
      Mas que genial vc frequentar essas casas de arcade! *inveja*

      Excluir
  2. Conhecir a snk quando ainda era criança isso em 1997 aos 8 anos hj estou com 28 e nao vejo um jogo ou empresa q supera tamanha inteligência em fazer jogos e personagens cativantes como a SNK e lamentável e triste o fim que se deu para esta empresa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O erro foi se apoiar unicamente e exclusivamente nos personagens. Os jogadores atuais não estão muito preocupados com isso. E eles tambhém tiveram azar...

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...